Aquele Querido Mês de Agosto...

Aquele Querido Mês de Agosto...

Filme em exibição nas salas de cinema, que retrata o dia-a-dia, meio ficcão meio realidade, de como é vivido o mês de Agosto, no interior do País.

Depois de ver que quase todos os críticos do jornal "Expresso" davam cinco estrelas ao filme (pontuação máxima), decidi ir ver o mesmo. Não me arrependi, e penso que é um filme que devia ser obrigatório. Não vou aqui descrever todos os sentimentos e recordações que o filme me despertou, não vale a pena, não tenho léxico para isso, vale a pena sim ir ver...

Ainda para mais, a imagem acima é das primeiras imagens do filme (trata-se de Pardieiros, não é ficção, é mesmo uma aldeia situada para os lados de Arganil), os actores são do mais puro e genuíno que se pode esperar, sem estereotipos, quase que nos identificamos de imediato com o que são ou com o que representam.

Em cima, deixo um link para um trecho do filme, dos muitos que há dispersos pelo Youtube. Mas atenção, este filme não é para ver às prestações, é para ver como um todo, só assim faz sentido, ou se calhar não, não sei. Quem já viu ou for ver, que deixe aqui um comentário.

Por mim, vale cinco estrelas.

Saudações Pardieirenses!

13 comentários

Clique aqui para comentários
MC
admin
12 de setembro de 2008 às 10:37 ×

Eu ainda não vi o filme mas irei ver logo que possa.
No entanto, não me espantava nada que os Pardieiros fossem os do Carregal do Sal. Durante a minha juventude aí, assisti a algumas festas abrilhantadas pelo famoso conjunto musical "Diapasão de Seia". Não sei se falamos do mesmo.

Responder
avatar
António J. Silva
admin
12 de setembro de 2008 às 12:36 ×

Pois, não sei, eu tou com 30 e poucos e não me lembro desse conjunto.
Aquele que tenho na memória mais vaga é o conjunto "Estrelas Incomparáveis".

Responder
avatar
Beijós é já ali
admin
12 de setembro de 2008 às 13:57 ×

Olá,

no filme, os Pardieiros são da freguesia de Benfeita, concelho de Arganil (mapa).

O Diapasão é o mesmo de que fala a MC. Uma ocasião (há mais de 25 anos) participei na organização de um baile onde eles actuaram, cobravam um ror de dinheiro. Suponho que nunca actuaram nos "nossos" Pardieiros.

Responder
avatar
MC
admin
12 de setembro de 2008 às 18:32 ×

Pois eu tenho quase a certeza que actuaram nos "nossos" Pardieiros. Eu não tenho 30 e poucos, tenho 40 e alguns por isso faz toda a diferença:)

Responder
avatar
Anónimo
admin
13 de setembro de 2008 às 07:37 ×

Pela grande qualidade das festas dos PARDIEIROS dos anos 60,70 e até 8o, de certeza que o 'conjunto DIAPASÂO/original'foi aí várias vezes.
Pois este célebre conjunto,e por as festas serem comparáveis,foi muitas vezes a VILAR-SECO. Tal como foram também OS MELROS,os NOVOS MELROS,OS PERÚS, O CONJUNTO MARIA ALBERTINA e também ANTÓNIO MAFRA,já não falando nos Pauliteiros de Miranda e também de Abraveses(miúdos). Eram conjuntos de 1ª. escolha,e de brio das comissões de festas,porque os forasteiros pela sua aderência, assim o mereciam.Nesse tempo havia bairrismo, e valores também mais fieis.!. Parabéns pelo vosso Pardieiros online !!!.

Responder
avatar
RICARDO
admin
13 de setembro de 2008 às 09:31 ×

obrigada pelo comentário podia era identificar-se

Responder
avatar
Anónimo
admin
13 de setembro de 2008 às 21:05 ×

acrivilar@hotmail.com

Responder
avatar
Ramiro
admin
13 de setembro de 2008 às 21:18 ×

Começa a ser muito bonito e a dar bastante "gozo" visitar a pagina de Pardieiros Online, visto que cada vez mais é mais visitada e cada vez mais por variadissimas pessoas. Continuem, e sempre que possa ajudar estou à vossa disposição. E já agora,cumprimentos a todos os comentadores.

Responder
avatar
Anónimo
admin
14 de setembro de 2008 às 02:53 ×

Conservem como lema o seguinte princípio pensado,praticado e assinado,por Aristóteles:

SOMOS O QUE REPEDIMENTE FAZEMOS.
A EXCELÊNCIA NÃO É PORTANTO UM FEITO MAS SIM UM HÁBITO (...)

Assim todas as iniciativas,alimentadas com o constante esforço,têm sucesso .

Responder
avatar
Anónimo
admin
14 de setembro de 2008 às 08:23 ×

O COMENTÁRIO ANTERIOR por ter um erro de falta de correcção, aí vai de novo o princípio que vos deve reger e servir como lema:
SOMOS O QUE REPETIDAMENTE FAZEMOS.
A EXCELÊNCIA NÃO É PORTANTO UM FEITO, MAS SIM UM HÁBITO
"Aristóteles"

--expandido por FRA ou AAFRA--

Responder
avatar
Márcia
admin
15 de setembro de 2008 às 12:02 ×

Olá,

Bom, quando ainda estava por aí, li sobre a chegada deste filme às telas portuguesas. Se o filme cruzar o oceano e aparecer pelo RJ, dou um jeitinho para ir vê-lo.

Na semana passada estreou em nossos cinemas o filme "Ensaio Sobre a Cegueira", do diretor brasileiro Fernando Meireles, baseado no livro de José Saramago.

Já tinha lido o livro há anos atrás e agora o filme está na minha lista dos prioritários. Vou vê-lo com certeza. O José Saramago aprovou o filme.

Bjs luso-brasileiros.

Márcia

Responder
avatar
ricardo
admin
15 de setembro de 2008 às 13:39 ×

bemvinda de novo marcia e obg pelos comentarios

Responder
avatar
Maria do Céu
admin
17 de setembro de 2008 às 13:22 ×

Pois é! Nesse tempo havia bairrismo e as festas eram quase um acontecimento histórico. Andavamos o ano inteiro á espera da festa da "Pascoela" normalmente durava 3 dias. Que saudades que eu tenho desse tempo. Dava-se mais valor ás coisas e aos acontecimentos.

Responder
avatar