Coisas da nossa aldeia – a levada de Tomás em Pardieiros

Toda a gente que conhece os Pardieiros deve conhecer este local mas para quem não conhece passo a descrever.
Este era o único local onde alguns anos atrás as pessoas desta terra podiam lavar a roupa, pois nesta altura não havia as maquinas de lavar, nem os tanques públicos. Este local era um pequeno rio que passa por esta aldeia bem como por outras vizinhas tais como Pisão e Moreira.
Neste local as pessoas lavavam as suas roupas e algo que hoje era impensável, (tal a fiscalização que existe), lavar as entranhas do porco ou seja as tripas do porco para posteriormente fazer os enchidos caseiros.

rio dos pardieiros

Algo que também se colhia destas águas era os agriões que floriam naturalmente nestas aguas límpidas, mas actualmente estas encontram-se poluídas sendo pouco aconselhável e como fruto disso os agriões nem sequer se encontram.
Neste local existiam vários moinhos movidos a àgua do rio utilizados pelas pessoas para transformar o grão de milho e o centeio em farinha utilizada para cozer o pão, actualmente estes moinhos encontram-se abandonados mas estes quando funcionavam encontravam-se afastados da aldeia de pardieiros.


moinho abandonado em pardieiros mó de pedra

Os moleiros levavam um saco de milho ou centeio às costas à ida e à vinda traziam o mesmo saco mas agora cheio de farinha. Para evitar este esforço alguns deles utilizavam uma égua ou uma burra com a albardas para fazer o transporte.